L'istrione

( Canta: Charles Aznavour )
( Autores: C. Aznavour - Garvarenz - G. Calabrese - 1971 )
( Titulo original: Le Histrion )

Ouça todas as músicas de Charles Aznavour

  • L'istrione - Charles Aznavour

 Provavelmente existem alguns erros de tradução, me perdoe. Sugerir Correção

Originale


Io sono un istrione,
ma la genialità è nata insieme a me.
Nel teatro che vuoi, dove un altro cadrà,
io mi surclasserò.

Io sono un istrione,
ma la teatralità scorre dentro di me.
Quattro tavole in croce, e qualche spettatore,
chi sono lo vedrai.

Lo vedrai. In una stanza di tre muri
tengo il pubblico con me,
sull'orlo di un abisso oscuro
col mio trac e coi miei tics.

E la commedia brillerà
del fuoco sacro acceso in me.
E parlo e piango e riderò
del personaggio che vivrò.

Perdonatemi se con nessuno di voi
non ho niente in comune.
Io sono un istrione
a cui la scena dà la giusta dimensione.

La vita torna in me
ad ogni eco di scena che io sentirò.
E ancora morirò di gioia e di paura
quando il sipario sale.

Paura che potrò non ricordare più
la parte che so già.
Poi, quando tocca a me, puntuale sono là
nel sogno sempre uguale. Uguale.

Io sono un istrione
ed ho scelto oramai la vita che farò.
Procuratemi voi. Sei repliche in città
e un successo farò.

Io sono un istrione
e l'arte, l'arte sola è la vita per me.
Se mi date un teatro e un ruolo adatto a me,
il genio si vedrà. Si vedrà.

Con il mio viso ben truccato,
con la maschera che ho,
sono enfatico e discreto,
versi e prosa vi dirò.

Con tenerezza o con furore,
e mentre agli altri mentirò
fino a che sembri verità,
fino a che io ci crederò.

Non è per vanità, quel che valgo lo so,
e ad esser sincero, solo un vero istrione
è grande come me,
ed io ne sono fiero.

la ra ri la ra la ri la ri la ra....

Tradução


Eu sou um comediante,
mas a genialidade nasceu junta comigo.
No teatro que queres, onde um outro cairá,
eu me superarei.

Eu sou um comediante,
mas a teatralidade corre dentro de mim.
Quatro mesas em cruz, e algum espectador,
quem sou o verás.

O verás. Num quarto de três paredes
mantenho o público comigo,
na beira de um abismo escuro
com meu trac e com meus tiques.

E a comédia brilhará
do fogo sagrado aceso em mim.
E falo e choro e rirei
da personagem que viverei.

Perdoem-me se com ninguém de vocês
não tenho nada em comum.
Eu sou um comediante
a quem a cena dá a justa dimensão.

A vida volta em mim
a cada eco de cena que eu ouvirei.
E ainda morrerei de felicidade e de medo
quando a cortina subir.

Medo que poderei não lembrar mais
o papel que já sei.
Depois, quando chega a minha hora, pontual estou lá
no sonho sempre igual. Igual.

Eu sou um comediante
e escolhi já a vida que farei.
Procurem-me vocês. Seis representações na cidade
e um sucesso farei.

Eu sou um comediante
e a arte, a arte somente é a vida para mim.
Se me dais um teatro e um rol adaptado a mim,
o gênio se verá. Se verá.

Com meu rosto bem caracterizado,
com a mascara que tenho,
sou enfático e discreto,
versos e prosa vós direi.

Com ternura ou com furor,
enquanto para os outros mentirei
até que pareça verdade,
até que eu também acreditarei.

Não é por vaidade, aquilo que valho eu sei,
e para ser sincero, somente um verdadeiro comediante
é grande como eu,
e disso eu sou orgulhoso.

la ra ri la ra la ri la ri la ra....

* Número de validação incorreto! Por favor digite 11

     
 

Musica Italiana Copyright 2006-2017 "Pino Ulivi". Design, conteúdo e publicação da parte de "Leo Caracciolo"

As músicas em italiano são dos seus respectivos autores.