Gli Zingari

( Canta: Giorgio Consolini )
( Autores: H. Giraud - P. Cour - L. Chiosso - 1959 )

Ouça todas as músicas de Giorgio Consolini

  • Gli Zingari - Giorgio Consolini

 Provavelmente existem alguns erros de tradução, me perdoe. Sugerir Correção

Originale


Zingaro, chi sei?
Figlio di Boemia.
Dimmi, tu perchè
sei venuto qui?

Quando mi stancai
dell'Andalusia.
E tu vecchio dimmi, come fu?
La mia terra ormai non esiste più.

I cavalli son stanchi
nell'umida sera
ma la folta criniera
sembra il vento invocar.

Stan gli zingari attorno
alle fiamme splendenti
destan ombre giganti,
nel chiarore lunar.

Palpita allor
la canzon più bizzarra,
nasce dal cuor
quel vibrar di chitarra.

Questo è il canto di chi
non conosce frontiera,
è l'ardente preghiera
del gitano che va.

Dimmi, dove vai?
Tornerò in Boemia,
me ne andrò lontan
per mai più tornar.

E tu, dove vai?
Nell'Andalusia.
Tu perche vuoi piangere cosi?
Io son vecchio ormai e rimango qui.

O Gitano perchè
non rimani stasera,
per la nuova avventura
puoi domani partir.

Resta ancora a cantar
nella notte stellata,
finchè l'alba spietata
faccia il sogno svanir.

Canta che un di
il gran re di Cuccagna
ti regalò
un castello in Ispagna.

Questo è il canto di chi
non conosce frontiera,
è l'ardente preghiera
del gitano che va!

Tradução


Cigano, quem és?
Filho de Boemia.
Diz-me, tu porque
vieste aqui?

Quando me cansei
da Andaluzia.
E tu velho diz-me, como foi?
A minha terra já não existe mais.

Os cavalos estão cansados
na úmida noite
mas a basta crina
parece o vento invocar.

Estão os ciganos em volta
das flamas esplendentes
criam sombras gigantes,
no luar.

Palpita então
a canção mais extravagante,
nasce do coração
aquele vibrar de guitarra.

Este é o canto de quem
não conhece fronteiras,
é a ardente oração
do cigano que vai.

Diz-me, pra onde vai?
Voltarei para a Boemia,
irei distante
para nunca voltar.

E tu, pra onde irás?
Na Andaluzia.
Tu porque quer chorar assim?
Eu sou velho agora e fico aqui.

O Cigano porque
não ficas esta noite,
para a nova aventura
podes partir amanhã.

Ficas ainda a cantar
na noite estrelada,
até que o amanhecer cruel
faça o sonho desvanecer.

Canta que um dia
o grande rei de Cuccagna
te presenteou com
um castelo na Espanha.

Este é o canto de quem
não conhece fronteiras,
é a ardente oração
do cigano que vai!

* Número de validação incorreto! Por favor digite 15

     
 

Musica Italiana Copyright 2006-2017 "Pino Ulivi". Design, conteúdo e publicação da parte de "Leo Caracciolo"

As músicas em italiano são dos seus respectivos autores.